Descubra o que faz um fonoaudiólogo e quando você deve procurar um.

A julgar pela linha do tempo que marca a história dos estudos nas diversas áreas da saúde, a fonoaudiologia é uma especialidade recente. No Brasil, foi na década de 1960 que surgiram os primeiros cursos dedicados ao seu ensino, e nos anos de 1980 a profissão de fonoaudiólogo se regulamentou.

Hoje em dia, é comum que as pessoas conheçam ou pelo menos já tenham ouvido falar da fonoaudiologia, mas a verdade é que são muitos aqueles que acabam se esquecendo dela por não saberem exatamente o que faz um profissional dessa área e quais problemas ele pode ajudar a solucionar.

Por isso, trouxemos um apanhado das informações mais importantes que você precisa saber a respeito da fonoaudiologia.


O que é a fonoaudiologia e o que faz um fonoaudiólogo?

A fonoaudiologia é uma ciência que estuda as funções chamadas neurovegetativas – mastigação, deglutição e alguns aspectos da respiração –, bem como a comunicação humana nos níveis neurológico e motor.

Isso significa que o fonoaudiólogo é o profissional da saúde que faz uso dessa ciência visando à pesquisa, às avaliações e aos tratamentos que tenham impacto na voz, na escrita, na comunicação oral, no sistema nervoso e no sistema estomatognático (da mandíbula).

Tendo sua atuação focada principalmente na comunicação de um modo geral, podemos perceber que o fonoaudiólogo é o profissional da saúde que pode oferecer um grande impacto positivo na vida de alguém que possua dificuldades nesse campo.

Por vivermos em sociedade e constantemente nos comunicamos com outros indivíduos, os problemas ou maus hábitos que alguém venha a ter na fala ou na audição podem comprometer sua interação com os demais, ocasionando até quadros de timidez extrema e insegurança, que acabam diminuindo a qualidade de vida. O fonoaudiólogo é justamente o profissional indicado para solucionar questões como essas.


Quando você deve procurar um fonoaudiólogo

Há quem pense que avaliações e tratamentos com fonoaudiólogos só podem ajudar crianças ou jovens que estão em idade de formação. Isso não é verdade.

É claro que, em idades mais baixas, é mais fácil sanar certos problemas, uma vez que eles não foram reforçados por tantos anos, senão décadas. Porém, qualquer pessoa, de qualquer idade, pode se beneficiar com a ajuda de um fonoaudiólogo.

Confira, portanto, uma lista de exemplos de situações e quadros com motivos para que você procure um profissional da fonoaudiologia.

1) Perda ou cansaço recorrente da voz

Seja um adulto, jovem ou criança, se alguém constantemente se vê com a voz “cansada”, disfônica, rouca ou até perdendo totalmente a voz mesmo sem cometer abusos, esse pode ser um indicativo de que há esforço excessivo da musculatura e das pregas vocais. Para isso, um fonoaudiólogo pode orientar e oferecer à pessoa um processo de reeducação para que ela utilize melhor sua voz.

2) Gagueira

Em crianças de até cinco anos de idade, é normal que a fala seja um pouco mais lenta ou até mesmo que elas gaguejem um pouco. No entanto, após essa idade, é prudente que os pais acompanhem seu progresso para que, caso não haja melhoras, a criança possa ter o auxílio de um fonoaudiólogo para praticar exercícios que ajudem a desenvolver sua comunicação oral.

3) Atrasos no desenvolvimento da fala

Esse é mais um exemplo de casos entre crianças. Quando os pais percebem que seus filhos possuem a fala menos desenvolvida do que ela deveria ser para a sua idade, como problemas na formação de frases ou erros na articulação de palavras, também devem considerar a ajuda de um fonoaudiólogo para que as razões sejam tratadas e a criança possa retomar seu desenvolvimento.

4) Dificuldades para engolir, deglutir, mastigar, respirar

Boa parte da atuação do fonoaudiólogo está centrada no treinamento da musculatura da face, boca e língua. Isso significa que esse profissional também está habilitado para tratar problemas como dificuldade para engolir, deglutir, mastigar ou respirar, seja em crianças ou em adultos.

5) Troca de fonemas e dificuldades de aprendizado

Especialmente entre as crianças que estão apenas começando a se comunicar oralmente, é comum ouvirmos certas palavras pronunciadas de uma forma errada, como “carro” que pode ser falado como “calo”. No entanto, se isso persistir por muito tempo, um fonoaudiólogo deve ser procurado para uma avaliação. Isso porque, especialmente quando a criança estiver entrando na idade escolar, esse tipo de erro pode acabar prejudicando o processo de aprendizado e seu convívio com outras crianças.

6) Língua presa

Os efeitos da famosa “língua presa”, como é conhecida popularmente, na realidade indicam que a língua é solta. Esse é um quadro que muitos conhecem. Trata-se de quando a pessoa tem uma pronúncia bastante característica de certas consoantes, como “t” e “s”. Nesses casos, o tratamento oferecido pelo fonoaudiólogo envolve, principalmente, exercícios de tonificação da língua e dicção.

7) Dores e funcionalidade da mandíbula

Seja decorrente de traumas ou por predisposições genéticas, certas pessoas sentem dores ou dificuldades na utilização da mandíbula. Desconforto, dificuldades na fala, problemas na articulação, mastigação e a famosa “travada” são casos que podem ser solucionados com um tratamento fonoaudiológico que tenha como objetivo o fortalecimento dos músculos dessa área.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *