AMAMENTAÇÃO: tudo o que você precisa saber - Sidesc

Se você está planejando ter um bebê ou, se já tem, está tentando amamentar, muito provavelmente já ouviu falar sobre a importância do aleitamento materno para a saúde do bebê. Inclusive, o Ministério da Saúde recomenda a amamentação até os dois anos de idade ou mais, e também que, nos primeiros seis meses de vida, o bebê receba somente o leite materno.

O que acontece é que, para muitas mães, o processo de amamentação não é muito simples nem indolor. Por exemplo, são comuns os relatos de mães que querem amamentar, mas encontram dificuldades. Por isso, preparamos este post com uma série de informações e ótimas dicas sobre o aleitamento materno, tanto para a mãe quanto para o bebê. Além disso, há também orientações sobre como superar as principais dificuldades nesse processo.

 

Benefícios da amamentação para o bebê

Inquestionavelmente, o leite materno fornece a nutrição ideal para a criança. Ele possui uma mistura perfeita de vitaminas, proteínas e gorduras, com tudo o que o bebê precisa para desenvolver-se de forma saudável até completar seis meses de vida. Em resumo, entre os seus principais benefícios, o leite materno:

  • contém anticorpos que ajudam o bebê a combater vírus e bactérias;
  • reduz o risco de o bebê ter asma ou alergias;
  • diminui as chances de infecções de ouvido, doenças respiratórias e surtos de diarreia;
  • promove o contato entre mãe e bebê, fazendo com que a criança se sinta mais segura; e
  • o bebê fica mais propenso a ganhar a quantidade certa de peso à medida que cresce.

 

Benefícios da amamentação para a mãe

Embora, geralmente, o ato de amamentar esteja associado à saúde do bebê, ele também traz diversos benefícios para a mãe. Amamentar, por exemplo:

  • contribui para queimar calorias e voltar ao peso de antes mais rapidamente;
  • libera o hormônio ocitocina, que ajuda o útero a retornar ao tamanho pré-gestacional, reduzindo o risco de hemorragia e anemia no pós-parto;
  • reduz o risco de ter câncer de mama e de ovário; e
  • diminui o risco de diabetes.

 

Desafios que as mães costumam enfrentar NA AMAMENTAÇÃO

O cansaço, o desconforto e a ansiedade estão entre os desafios mais enfrentados pelas mães durante o aleitamento materno exclusivo. Diante disso, separamos três situações bastante comuns e as possíveis soluções para superá-las.

 

Bico do peito machucado

É bem comum ocorrer até sangramento no bico e mamilo por consequência das fissuras (machucados). Esse é um sinal de que a pega durante a amamentação não está sendo feita de forma correta. Portanto, para evitar essa situação, é importante:

  • virar o bebê para a mãe, a fim de que ele fique bem apoiado e com os braços livres;
  • garantir que a cabeça fique de frente para o peito e o nariz bem em frente ao mamilo; e
  • colocar o bebê para sugar somente no momento em que ele abrir bem a boca, pegando a maior parte da auréola do mamilo, e não somente o bico do peito.

 

Baixa oferta de leite

Embora muitas mães se preocupem por achar que não produzem leite suficiente, o corpo é perfeito e produz leite na medida em que o bebê solicita. Em outras palavras, quanto mais ele mamar, mais leite a mãe produzirá. Um bebê de três meses, por exemplo, ingere menos de 180 ml a cada mamada. Ou seja, não é preciso preocupar-se sem antes conversar com o pediatra, que é o profissional indicado para verificar se tudo está sob controle.

Dessa forma, para garantir que o bebê ingira leite o suficiente, é importante a mamãe:

  • verificar se ele está bem posicionado;
  • amamentar com frequência e deixar que o bebê decida quando terminar a amamentação;
  • oferecer os dois seios a cada mamada.

 

Voltar ao trabalho

Esse momento de retorno às atividades profissionais é, sem dúvida, uma das razões mais comuns pelas quais as mulheres deixam de amamentar exclusivamente ou desmamam por completo antes dos seis meses de vida. Embora possa parecer difícil manter a amamentação, duas estratégias podem ajudar:

  • praticar o bombeamento algumas semanas antes de retornar ao trabalho para, dessa forma, fazer uma reserva no congelador de leite materno;
  • amamentar o bebê antes e depois do trabalho, e, sempre que possível, durante o expediente, fazer com que a criança tenha alguns momentos de contato com a mãe.

 

Três passos para uma amamentação tranquila e confortável

Além das dicas específicas para cada um dos desafios citados anteriormente, existem ainda três passos que podem ajudar durante todo o processo de amamentação. Veja:

 

passo 1 – Consciência

Diz respeito a ficar atento aos sinais de fome do bebê para amamentá-lo SEMPRE que surgir a demanda. Quase sempre, nas primeiras semanas, é normal amamentar de 8 até 12 vezes por dia. Quando estão com fome, geralmente, os bebês mexem as mãos em direção à boca, fazem ruídos de sucção ou movem-se em direção ao peito.

 

passo 2 – Paciência

Envolve amamentar durante todo o tempo em que o bebê demonstrar interesse, mesmo que ele faça isso várias vezes ao dia. Portanto, é importante não apressá-lo. Os bebês, normalmente, demoram entre 10 e 20 minutos em cada mama.

 

passo 3 – Conforto 

Este item é fundamental, pois é preciso relaxar enquanto se amamenta a fim de facilitar a saída do leite. Uma boa estratégia para isso é utilizar travesseiros para apoiar os braços, a cabeça e o pescoço, além de manter um apoio para os pés e as pernas. Vale providenciar tudo isso ANTES de começar a amamentar.

 

Gostou das informações de hoje? Então, aproveite para acessar nosso post sobre os jogos infantis que ajudam no desenvolvimento das crianças.

Baixe também esse ebook gratuito e aprenda que saúde de qualidade é possível para todos os bolsos.

 

Um comentário para “AMAMENTAÇÃO: tudo o que você precisa saber

  1. Oi eu amamentei a minha filha ate quase dois anos .
    E meu filho ate cinco anos.e tenho uma dica q eu acho q ajuda muito ..deixar uma fraudinha morna encima dos seios ou enquando o bb mama de um lado coloca do outro .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *