Primeiramente, é importante perguntar: quando foi a última vez que você consultou um oftalmologista? Se a resposta for “não me lembro”, “nunca fui” ou “faz muito tempo”, é bem importante rever essa conduta. Afinal, consultar periodicamente o oftalmologista é essencial para a manutenção da saúde dos olhos. Com certeza, é ele o profissional indicado para identificar, em tempo, alterações que podem gerar complicações futuras.

Antes de mais nada, o alerta acima vale para pessoas de todas as idades, não somente adultos. Por isso, é aconselhável que os pais levem os filhos ao oftalmologista pediátrico, já que ele tem papel fundamental para prevenir, rastrear, diagnosticar e, afinal, tratar doenças da visão em crianças e adolescentes.

 

Quais as doenças mais comuns tratadas pelo Oftalmologista?

 

1 – Miopia

Em síntese, ela corre quando se enxerga os objetos próximos sem dificuldade, contudo, o cenário distante parece estar embaçado e sem foco.
Curiosidades sobre a miopia:

  • há diferentes graus de intensidade de miopia;
  • não há distinção de faixa etária, ou seja, pessoas de todas as idades podem ter;
  • a origem é majoritariamente genética;
  • não há formas de prevenção, infelizmente;
  • o tratamento envolve uso de óculos/lentes de contato e cirurgia corretiva.

 

2 – Hipermetropia

Contrariamente à miopia, a pessoa com hipermetropia enxerga os objetos próximos de forma desfocada, contudo, o cenário distante mantém-se nítido.
Curiosidades sobre a hipermetropia:

  • ocorre frequentemente entre a população infantil;
  • tem origem genética e também está associada a casos de estrabismo na infância;
  • possui diferentes graus de intensidade;
  • não há formas de prevenção, infelizmente;
  • o tratamento inclui tanto o uso de óculos/lentes de contato, quanto a cirurgia corretiva.

 

3 – Astigmatismo

Essa condição se refere a quando a pessoa enxerga os objetos e cenários de maneira distorcida, tanto de perto quanto de longe.
Curiosidades sobre o astigmatismo:

  • acomete pessoas de todas as idades;
  • tem origem hereditária;
  • não há formas preventivas, infelizmente;
  • o tratamento envolve uso de óculos/lentes de contato e cirurgia corretiva.

 

4 – Catarata

Em resumo, caracteriza-se pela perda da transparência do cristalino, que é a membrana localizada logo atrás da íris. Em alguns casos, pode não influenciar na qualidade da visão, mas, em outros, pode levar à cegueira.
Curiosidades sobre a catarata:

  • geralmente, a causa envolve predisposição genética em conjunto com o envelhecimento do cristalino;
  • condições como diabetes, uso de corticoides e traumas na região ocular também são fatores de risco;
  • o tratamento é exclusivamente cirúrgico.

 

5 – Estrabismo

Segundo o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), a principal característica do estrabismo é o desalinhamento dos olhos.
Curiosidades sobre o estrabismo:

  • não há causas bem definidas, mas especialistas associam como sendo resultado de desequilíbrios em algum dos músculos ligados ao alinhamento dos olhos;
  • é mais comum durante a infância;
  • pode ser tratado com colírios, exercícios visuais e, em casos mais graves, procedimentos cirúrgicos.

 

6 – Conjuntivite

Em suma, é uma inflamação da conjuntiva, que é a membrana transparente responsável por revestir e proteger o globo ocular. De acordo com o CBO, o tipo mais comum de conjuntivite é a infecciosa
Curiosidades sobre a conjuntivite:

  • vírus, bactérias e igualmente as alergias podem desencadear a doença;
  • no caso da conjuntivite viral, durante o tratamento, é preciso evitar contato com outras pessoas para, desse modo, previnir a disseminação;
  • para ambos os casos, o tratamento inclui compressas com soro fisiológico, colírios lubrificantes e limpeza periódica.

 

7 – Terçol

Diz respeito à inflamação na glândula ocular, deixando a borda das pálpebras com caroços e inchada.
Curiosidades sobre o terçol:

  • é causado por bactérias;
  • o tratamento inclui uso de colírios e pomadas bactericidas;
  • ocorre mais frequentemente em adolescentes, devido à variação hormonal. Afinal, trata-se do mesmo processo que faz com que os adolescentes tenham mais acnes.
  • é possível prevenir o terçol com higienização constante das mãos e pouco contato delas com o globo ocular.

 

8 – Deslocamento de retina

Primeiramente, é preciso entender que a retina corresponde à fina membrana que reveste a parte interna do olho. Assim, a partir do momento em que ela se desprende da região posterior do globo ocular, seja por completo ou de forma parcial, existe o deslocamento de retina.
Curiosidades:

  • precisa de intervenção de um oftalmologista com urgência para, dessa forma, preservar a visão;
  • entre as pessoas com maior predisposição estão aquelas com histórico familiar, os míopes e quem passou por cirurgia de catarata;
  • o tratamento é cirúrgico;
  • medidas preventivas incluem ações de segurança para evitar traumas oculares.

 

9 – Olho seco

Quando não ocorre normalmente a lubrificação da superfície do olho, pode haver, juntamente com isso, uma alteração do líquido lacrimal. Por isso, para evitar lesão da córnea, é preciso usar colírios específicos.  O olho seco ocorre ainda mais frequentemente em:

  • quem usa lentes de contato;
  • quem está sempre exposto a ambientes com ar-condicionado, vento ou a altitudes elevadas;
  • quem fuma;
  • quem usa determinados medicamentos, como anti-histamínicos, antidepressivos, diuréticos, anestésicos, anticolinérgicos e beta–bloqueadores;
  • quem está na terceira idade, pois, nessa fase da vida, há diminuição da produção de lágrimas.

 

Enfim, percebeu a gama de doenças oculares identificadas a partir da consulta com um oftalmologista? Por isso, é importante consultar um especialista periodicamente, independentemente da idade.

O Sidesc conta com diversos profissionais dessa área. Aproveite, então, para ler nosso post sobre como sua família pode ter acesso a médicos e exames de qualidade gastando pouco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *